Javascript DHTML Drop Down Menu Powered by dhtml-menu-builder.com

Helicópteros, do básico ao de luxo

O Brasil é realmente um país de contrastes sociais. Enquanto a maior parte da população se acotovela espremida dentro do precário transporte público, outros trafegam no céu de brigadeiro em sofisticadas aeronaves, longe de serem importunados por flanelinhas, perigosos semáforos – que mais parecem feiras livres – e de olhos cobiçosos do alheio. Sim, o Brasil tem hoje a segunda maior frota de aviação geral do mundo e primeira em número de helicópteros. Dados da Abag (Associação Brasileira de Aviação Geral).

Segundo a ANAC (Agência Nacional da Aviação Civil), promete interditar entre esta quarta-feira e sexta-feira 16 helipontos privados considerados irregulares pela Prefeitura de São Paulo. É a primeira ofensiva do órgão federal realizada com base na nova lei municipal para o funcionamento dos pontos de pouso e de decolagem dos 452 helicópteros registrados na capital paulista, cuja frota é a maior do mundo - Nova York, o segundo colocado, tem 445. Quer mais?

A frota atual de aviação executiva no Brasil possui 1.650 aeronaves, sendo 650 helicópteros, 350 jatos e 650 turboélices. A cidade de São Paulo concentra 35% (577 aeronaves) de toda essa frota. Em relação à aviação geral, o Brasil possui a segunda maior frota do mundo com 10.562 aeronaves. O estado de São Paulo apresenta 28% do total de aeronaves no País.

Com 1100 helicópteros civis em todo Brasil, o País possui a maior frota do mundo de aeronaves desse tipo. O segmento de helicópteros é o que mais tem crescido dentro do setor de aviação executiva no Brasil, apresentando uma frota de mais de 400 aeronaves no estado de São Paulo e cerca de 260 helipontos na capital paulista, dos 427 disponíveis no País.

A cidade de São Paulo concentra a maior frota de helicópteros urbanos do mundo, à frente de grandes metrópoles como Tóquio e Nova Iorque, e promete crescer ainda mais nos próximos anos. Atualmente, a capital paulista é a única cidade do mundo que possui um controle de tráfego aéreo exclusivo para helicópteros. À frente de países como México, Venezuela, Argentina, Colômbia e Chile, o Brasil é o país que possui o maior mercado no segmento de aviação executiva na América Latina.

O transporte aéreo dentro de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro já é possível para quem não pretende manter um helicóptero exclusivo. Com o programa de compartilhamento de aeronaves (time share), os custos foram reduzidos e o serviço ampliou-se como alternativa para os complicados congestionamentos de automóveis enfrentados nas metrópoles. Empresas, executivos, ou mesmo quem simplesmente deseja mais conforto têm se interessado cada vez mais pelo serviço.

Uso compartilhado – O conceito de propriedade compartilhada em helicópteros foi inserido na aviação executiva brasileira em 2001 e ampliou as possibilidades para quem busca mais agilidade em transporte. Com a otimização do uso das aeronaves e a divisão das despesas, os gastos fixos mensais reduziram-se em até 82%, importante fator para o público consumidor deste segmento, que decide suas aquisições de acordo com o retorno financeiro em relação aos investimentos no mercado de capitais. A rentabilidade acabou levando até mesmo antigos proprietários de helicóptero a migrar para o time share.

Para participar do compartilhamento de helicópteros, a pessoa (ou empresa) deve, inicialmente, comprar uma cota, que equivale a 10% da propriedade da aeronave. Mensalmente, se paga uma taxa fixa correspondente aos custos de uso do hangar, seguro, piloto e despesas administrativas, e uma taxa variável, que inclui os custos do combustível e de manutenção, proporcional ao tempo de voo utilizado. Cada cotista tem à disposição, a qualquer momento, dez horas de voo por mês, tempo suficiente, por exemplo, para quem faz diariamente o trajeto entre a Avenida Paulista e Alphaville (14 minutos, ida e volta), restando ainda três horas.

O trânsito caótico dos grandes centros urbanos, a necessidade de locomoção rápida e a economia de tempo para a realização de reuniões de negócios têm levado vários executivos a optarem pelos helicópteros como meio de transporte.

Fonte: Diário do Comércio

.

ABAG - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AVIAÇÃO GERAL

.

Rua Coronel Tobias Coelho, 147 – Aeroporto – Cep 04357-070 – São Paulo - SP

Tel: +55 (11) 5032-2727   |   Fax +55 (11) 5031-1900

– FALE CONOSCO –